14.5.07

Fome de Mundo



Fome de Mundo? Sim! Eu tenho fome de mundo.
Tenho ânsia de conhecer e explorar a realidade que faz de mim pessoa. Uma ânsia que não pára de crescer e que vem sendo acalentada dia a pós dia; que vai sendo moldada em conversas com pessoas que têm a mesma ânsia que eu: VIAJAR, VIAJAR e VIAJAR para conhecer o desconhecido. Encontrar-me no desencontro. Reflectir o impensado. Desafiar esta sociedade, esta máquina que nos domina, que nos prende e que não nos deixa viver aquilo a que temos direito: Estar perto dos outros. Conhecê-los . Divagar. Rir. Aprender.

Tenho medo até. Medo do que esta ânsia me poderá levar. Mas sigo o meu instinto e sem medo das consequência prossigo passo a passo rumo ao ignorado.

Faz-me confusão só de pensar que a vida é estudo, trabalho, carro, casa, filhos. Seria estupidificador se assim o fosse. Acredito numa outra visão. Num outro caleidoscópio que me faz vislumbrar o mundo de formas e cores bem mais coloridas do que aquelas que nos obrigam a ver... a preto e branco (e por vezes a cinzento, como forma de colocarem "poeira aos olhos" que nos deixa cegos, momentaneamente, e incapazes de questionar seja o que for. Transforam a vida em cinzento como forma de garantia de que a vida assim até tem alguma cor). Engana-nos! E fazem de nós pessoas que não somos. Pessoas que não queremos. Outras pessoas que nós próprios não conhecemos. Vivem "outros" dentro de nós! Fazem, então, com que nunca nos cheguemos a conhecer verdadeiramente.

E assim vivemos, a fingir que vivemos, sem nunca saber ao certo o que é viver exactamente.

2 comentários:

Megera da Cenaita disse...

Mano lindo, enfim encontrei tempo a sobrar neste mês de Agosto que de tão calmo em Lisboa, me retira para mil viagens interiores que não sei oportunas...assim, nos primeiros dias de regresso ao escritório depois de altas emoções, vivas de sorrisos e crescimentos mutuos que causei e me causáram, no futebol de rua...esse lugar em que as vitórias, a honra e a glória de gostar de si reinam...encontrei um tempo para ler o teu blog...esse mundo e esse senir..essa ânsia que partilho contigo...
...e nada me supreendeu porque já sabia que através da escrita podes contar muito de ti...continuo á espera de contigo poder ser cvontadora de histórias a começar pelo nosso amado brasil interior...esse espaço dos laços, da descoberta em que pela primeira vez nos vimos afastados de casa por mais que umas férias...num continente de sensações...num dia nostálgico coo o de hoje apetece-me regressar contigo a viagens exteriores...pelos caminhos do mundo e retomar os sonhos que fui adiando por fora, mas que todos os dias povoam as minhas jornadas interiores...
...acima de tudo está a certeza de de que sempre caminharemos juntos...de que estarás sempre a meu lado, memso quando não te vejo os pés e não sinto a tua mão no ombro, porque embrenhado nas tuas boleias...estás sempre comigo porque a viagem do amor é eterna... e aconteça o que acontecer sei que pisaremos sempre a mesma poeira peregrina e afastaremos juntos todas as pedras do caminho...

Ana Cristina disse...

"E assim vivemos, a fingir que vivemos, sem nunca saber ao certo o que é viver exactamente."

Penso mtas vezes nisto...e faz-me realmente ter medo...medo de viver pela metade...medo de não ser eu na essência...