12.2.08

"Só Voa Quem Se Atreve a Fazê-lo!!"

Viver nada é mais senão ser, verdadeiramente, aquilo que somos e queremos!

É lutar pelos nossos sonhos mesmo que sejam irrealistas para o conjunto da maioria.

Viver é AMAR. É poder abraçar quem gostamos e sentirmo-nos felizes por esse momento. É dizer aquilo que verdadeiramente sentimos sem termos vergonha disso mesmo. É darmo-nos por inteiro e sem reservas. É sermos loucos e surpreender com a nossa loucura.

Viver é SER LIVRE.É poder sorrir, livremente, e dar gargalhadas estridentes ao ponto das pessoas olharem para nós. É fazer aquilo que nos apetece. Tocar ás campainhas e fugir, como em crianças. Chapinhar na água e sujarmo-nos de lama. É comer um gelado de chocolate no inverno quando todos olham para nós. É deitarmo-nos na relva, numa noite quente, e contar as estrelas cadentes que conseguimos ver. É atravessar uma passadeira pisando apenas o traçado branco. É idealizarmos formas e visualizarmos coisas e objectos olhando para as nuvens. É gastar todo o dinheiro que temos naquilo que nos apetece. É falar com os amigos no messenger até tarde e ir para o trabalho com poucas horas de sono. É podermos comer a parte do meio das torradas divididas em três. É passear na praia vazia. É correr com o cão (o Tejo) e perceber que ele corre muito mais que nós. É limpar-lhe a baba, e as patinhas com toalhetes Dodot perfumado. É dormir com ele quando todos dizem que é uma javardice. É agradecer sinceramente aos tios pelas cuecas e meias oferecidas no Natal. É ser vegetariano. É emocionarmo-nos com um filme ou com uma música e não termos vergonha disso. É roubar no supermercado, pelo menos uma vez na vida. É gritar de alegria e chorar de emoção. É cheirar a roupa da cama lavada. É contermo-nos para não nos rirmos na cara de uma pessoa, e não conseguirmos fazê-lo. É atirar bombinhas de mau cheiro para a papelaria da nossa rua, e contarem aos nossos pais que fomos nós. É acreditar piamente nos nossos ideiais e lutar com afinco por eles. É poder dormir, num Domingo, até tarde, e ter o pequeno almoço na cama quando acordamos. É ir a uma exposição, no último dia, e esquecermo-nos dos bilhetes em casa. É ter amigos que saibam tudo acerca de nós. É fazer nudismo e perceber que fazemos sucesso! É poder mentir, pelo menos uma vez na vida, para dizer que fazemos sucesso ;), É ajudar os outros. É praticar Yôga. É lamber os dedos depois de comermos o bolo cheio de natas, sem o guardanapo. É sorrir para alguém quando estamos no meio do trânsito e arrancarmos de seguida.

Viver é VIAJAR. É poder organizar viagens com amigos e partir em busca do desconhecido, mesmo que a nossa família pense que devíamos poupar algum dinheiro. É dizer á família que estamos a amealhar algum dinheiro, para que quando tivermos a quantia junta, gastá-lo em viagens e não dizer nada à mãe. É idealizar viagens fascinantes e perceber que não há dinheiro para tanto, mas mesmo assim acreditar que um dia será possível realizá-las. É caminhar pelas cidades e emaranharmo-nos pelo desconhecido. É passear sem mapa. É falar com desconhecidos e passarmos uma tarde a conversar mesmo sabendo que nunca mais nos iremos ver. É decidir à última da hora e fazer a mala com o mínimo. É termos medo que nos aconteça alguma coisa mas não partilhar esse sentimento com ninguém. É vender na feira da ladra por alguns dias na intenção de angariar dinheiro para atingir os nossos sonhos. É arriscar. É sermos irreverentes ao ponto de gastar vários euros por apenas um café, numa esplanada europeia. É comer coisas estranhas, porque são típicas de cada terra.

Viver é partir com as amarras da sociedade.

É ser quem somos. Sem medos.

Afinal... Só voa quem se atreve a fazê-lo!!!!

4 comentários:

Anônimo disse...

Lia o post ao ouvir a música do utubi e tudo se encaixava em ti. É a tua cara sem te ver ali, mas tipuh parece ser a tua imagem de marca e consigo imaginar-te naquelas situações :p

Parabéns pahhh
Quero que continues a investir emocionalmente na escrita e um dia assinas-me um outro livro teu mas deste âmbito sentimental, nada técnico porque como tal já tas mais que aprovado!!

Keep on g...

Antão

Megera da Cenaita disse...

Pois é!...faz muito sentido...e ao ler verifiquei que já vivemos muitas destas experiências e sensações de liberdade e felicidade...que partilhamos e voamos juntos quase todas elas...
Mas hoje...quase aos 30, o corre corre da vida, as obrigações, o trabalho...e o ter verificado um mundo que desconhecia...de enganos, de injustiças onde menos as esperamos... parece não deixar muito espaço para que possa saltitar despreocupada numa poça de água, ou contar as estrelas com quem mais gosto...
continuo a sonhar e a não aceitar que a vida tenha que ser assim...
Sei que perdi face a muitas expectativas que não se concretizaram, quando as esperava do alto dos meus 23 anos...esse tempo todo em que vivi sempre assim como descreves...
Estes 5 anos foram outra história...outras descobertas...a descoberta do verdadeiro sofrimento, que a vida se encarregou de me mostrar...na incerteza de perder entes queridos, na descoberta de que o nosso querido mundo da solidariedade social, que as instituições onde sempre desejamos trabalhar, são podres e expoloram o ser humano, no egoismo que às vezes tomou conta de mim, nas minhas inseguranças que não me deixam avançar...por causa do meu perfeccionismo...do querer manter-me na glória, quando os tempos são de crise e mudança...
e a luta diária por recuperar a felicidade curriqueira dos dias que passam sem grandes preocupações...essa luta que não pdoemos deixae de travar...
mas mesmo quando descontraida passo horas a falar com os amigos...lá está a presença da preocupação e de dores que não se curam...e a vontade de sair da vidinha parva que levamos aqui...
O que agora espero é poder partilhar tb contigo tudo o resto que descreves ou não e que ainda não vivemos...aqueles nossos sonhos sobre os quais passavamos horas a fazer planos... e que não sei porquê não concretizamos tal como planeamos...
sei que os nossos sonhos não são todos iguais, nem têm de ser...e que cada caminho é um caminho...mas necessito da segurança de saber que o meu se cruzará com o teu muitas vezes e que andaremos lado a lado...como ns velhos tempos...que planearemos sempre juntos o que fazer das nossas vidas... apesar das novas experiências...
quero saber sempre de ti e que tu saibas de mim como se fossemos um só...como foi até aqui...pois só assim poderei ter segurança para voar e saber que posso regressar ao ninho aconchegante do afecto e do amor...amo-te muito meu querido mano...

ana lucia disse...

Nelson!
Obrigada!
Aabes; quando for velhinha tambem kero ser assim( sem que me chamem maluca):). E quero-te ao pe de mim..pra sempre!
Gosto muito de ti e tenho saudades tuas!
Beijos grandes

Ana Cristina disse...

Tu és fantástico!
Adoro vir aqui e viajar por todos os locais por onde passas!

Beijo